Terça-feira, 13 de Julho de 2004

POESIA DE JOÃO DE DEUS (1830-1896)

orquidia3.jpg

ENCANTO

Passavas como rainha,
E eu, que andava como morto,
Parece que me sustinha
No ar, em êxtase, absorto...
É ela, dizia eu,
A minha estrela do céu!


Passavas, lançando em torno,
Como lua, em noite amena,
Aquele olhar, doce e morno
Que me dava gosto e pena...
Pena de não ser só meu
Esse reflexo do céu!


Mal sabes como em nossa alma
À luz de uns olhos que atraem,
A tempestade se acalma
E as nuvens negras se esvaem;
Com a luz de um olhar teu
É uma bênção do céu!



Nesse traje, austero e grave
Toda de preto, era um gosto.
Ver não sei que luz suave
A banhar-te as mãos e o rosto...
Era a luz, suponho eu,
Que banha os anjos do céu.


Se um dia, estrela dos magos,
Me abandonares, na vida,
Deixa-me uns reflexos vagos
Como de estrela caída...
Ao menos verei no céu
Rastro da estrela que ardeu!

***************************************************************
Tristezas

Na marcha da vida
Que vai a voar
Por essa descida
caminho do mar,

Caminho da morte
Que me há de arrancar
O grito mais forte
Que eu posso exalar;

O ai da partida
Da pátria,do lar,
Dos meus e da vida,
Da terra e do ar;

Já perto da onda
Que me há de tragar,
Embora, se esconda
No fundo do mar;

De noite e de dia
Me alveja no ar
O fumo que eu via
Subir do meu lar!

Que sonhos doirados
Me estão a lembrar!
Mas tempos passados
Não podem voltar!

Carreira da vida,
Que vás a voar
Por esta descida,
Vai mais devagar;

Que eu vou deste mundo,
Talvez, descansar,
E nunca do fundo
Dos mares voltar!...

Nota: João de Deus pertenceu à terceira geração do Romantismo português. Este movimento foi introduzido por Almeida Garrett em 1825.

Outros Autores românticos:

Alexandre Herculano, Camilo Castelo Branco, Júlio Dinis


publicado por linade às 15:29
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De adelina a 13 de Julho de 2004 às 22:19
É verdade JAC (espero que não te importes), quando a ouvi no teu blogue fui procurá-la para presentear durante esta semana os visitantes do meu blogue, na próxima semana vou oferecer "Balada de Outono" que me parece também muito bonita, mas gosto mais desta balada e a beleza, seja ela qual for, deve ser partilhada com os demais. Um abraço e obrigada pela visita.


De JAC a 13 de Julho de 2004 às 19:58
Esta melodia... não me é estranha. Dedilhadas cordas da guitarra...sons...pois é o som do Local Imperfeito.


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28


.posts recentes

. HENRY LOUIS MENCKEN - 188...

. BENOITE GROULT

. II Encontro de Weblogs

. Vinicius de Moraes

. Arnaldo Jabor ... Sempre...

. Cerejas com vinagre e açú...

. PENSAMENTOS...

. Rosa Ditosa

. Eugénio de Andrade - Cama...

. As divas do cinema - Por ...

.arquivos

. Fevereiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

blogs SAPO

.subscrever feeds