Domingo, 29 de Maio de 2005

PENSAMENTOS...

paisagem.jpg

O amor é uma actividade, não um afecto passivo; é um acto de firmeza, não de fraqueza...é propriamente dar, e não receber.
(Erich Fromm)

Não confundir o amor com a paixão dos primeiros momentos, que pode desaparecer. O verdadeiro carinho cresce na medida em que os dois estão mais unidos, porque partilham mais. Mas para partilhar é preciso dar. Dar é a chave do amor. Amor significa sempre entrega, dar-se ao outro. Só pelo sacrifício se conserva o amor mútuo, porque é preciso aprender a passar por alto os defeitos, a perdoar uma e outra vez, a não devolver mal por mal, a não dar importância a uma frase desagradável, etc. Por isso o amor também significa exceder-se, fazer mais do que é devido.
(J. L. Lorda)

Devemos desconfiar do amor que nasce antes de criar raízes: o fogo incipiente apaga-se com pouca água.
(Ovídio)

A grande escola é o amor: as exigências do amor levam a grandes heroísmos. Quando a amor é verdadeiro, o sacrifício não dói; o amor faz estimar como bem próprio aquilo que é um dever.
(J. L. Lorda)

Se uma pessoa diz a outra que a ama, a própria linguagem supõe a expressão "para sempre". Não tem sentido dizer: - Amo-te, mas provavelmente só durará uns meses, ou uns anos, desde que continues a ser simpática e agradável, ou eu não encontre outra melhor, ou não fiques feia com a idade. Um "amo-te" que implica "só por algum tempo" não é um amor verdadeiro. É antes um "gosto de ti, agradas-me , sinto-me bem contigo, mas de modo algum estou disposto a entregar-me inteiramente, nem a entregar-te a minha vida".
(M. Santamaría Garai)

Conservar algo que possa recordar-te seria admitir que eu pudesse esquecer-te.
(Autor desconhecido)

É sempre preciso amor para compreenderes o que difere de ti.
(Gide)

A entrega do corpo é a expressão dessa entrega total da pessoa. Porque o meu corpo sou eu, não é uma coisa externa, um agasalho ou uma máquina que eu uso, mas sou eu próprio. Precisamente por isso, o amor conjugal
autêntico inclui, por si, o "até que a morte nos separe". O matrimónio é entregar-se para sempre; entregar o corpo sem se entregar para sempre seria prostituição, a utilização da própria intimidade como objecto de troca: dar o corpo em troca de algo (ainda que esse algo seja o enamoramento), sem ter entregado a vida.
(M. Santamaría Garai)

Apenas vos falta um ser, e tudo está despovoado...
(Lamartine)

Apenas em torno de uma mulher que ama se pode formar uma família.
(Friedrich Schlegel)

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, sou como um bronze que soa, ou como um címbalo que tine. E ainda que eu tivesse o dom da profecia e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e tivesse toda a fé, até ao ponto de transportar montanhas, se não tivesse amor, não seria nada. E, ainda que distribuísse todos os meus bens para sustento dos pobres, e entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tivesse amor, nada me aproveitaria.
(Carta de S. Paulo aos Coríntios)


É fácil amar os que estão longe. Mas nem sempre é fácil amar os que vivem ao nosso lado.
(Madre Teresa de Calcutá)


Pagai o mal com o bem, porque o amor é vitorioso no ataque e invulnerável na defesa
(Lao-Tsé)

O amor ensina-nos todas as virtudes.
(Plutarco)

Quando se quer bem a uma pessoa a presença dela conforta. Só a presença, não é necessário mais nada.
(Graciliano Ramos)

Se semeias o amor em ti, só amor serão os frutos.
(Sto.Agostinho)

O amor é paciente, é bondoso; a amor não é invejoso, não é arrogante, não se ensoberbece, não é ambicioso, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda ressentimento pelo mal sofrido, não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
(Carta de S. Paulo aos Coríntios)
publicado por linade às 16:26
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quarta-feira, 4 de Maio de 2005

Rosa Ditosa

“ Nasci em sombra amena; fui botão;
Desabrochei ouvindo rouxinóis...
Pela Manhã, rosa me vi...depois
Colhida fui por delicada mão.

À noite, em vasto e lúcido salão,
Flori nuns seios lindos, que eram dois
Pombinhos a arrulhar, e eram dois sóis
De neve, mas que ardiam de paixão.

Penhor d’amor jurado e bem sentido.
Dum moço agora sou, que, embevecido,
Me oscúla, enquanto o seu olhar se estrela.

E que ao cheirar-me, do prazer no cume,
Encontra, perfumando o meu perfume,
O que neste ficou dos seios dela!”

Eugénio de Andrade

Chamas duma Candeia Velha
publicado por linade às 12:41
link do post | comentar | favorito
|

Eugénio de Andrade - Camafeus Romanos

No seu último sono aqui descansa
Cornélia Eutíquia. Os astros no alto céu
Invejam todos o destino seu;
Fiou, foi esposa e mãe; foi linda e mansa.

As jóias, os cosméticos e a dança
Nunca a tentaram; nunca apareceu
No pórtico elegante de Pompeu...
Era, sendo matrona, uma criança.

Por isso, o viúvo dela, ao sepultá-la,
No cipo que lhe marca a sepultura,
Sob terna inscrição d’altos louvores,

Mandou lavrar, querendo retratá-la,
Este baixo-relevo que figura
Uma dócil ovelha a comer flores.
publicado por linade às 12:29
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28


.posts recentes

. HENRY LOUIS MENCKEN - 188...

. BENOITE GROULT

. II Encontro de Weblogs

. Vinicius de Moraes

. Arnaldo Jabor ... Sempre...

. Cerejas com vinagre e açú...

. PENSAMENTOS...

. Rosa Ditosa

. Eugénio de Andrade - Cama...

. As divas do cinema - Por ...

.arquivos

. Fevereiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

blogs SAPO

.subscrever feeds