Sexta-feira, 18 de Junho de 2004

HISTÓRIA DA BANDEIRA PORTUGUESA

Flagbig.gif


PRIMEIRA BANDEIRA


  Quando Portugal se tornou independente em 1139, o primeiro rei, D. Afonso Henriques, adoptou como bandeira uma simples cruz em campo branco.



SEGUNDA BANDEIRA


A bandeira portuguesa é também chamada a Bandeira das Quinas. Se contarmos todos os bezantes no sentido vertical e horizontal (contando o do centro duas vezes) encontramos o total de trinta bezantes (ou moedas), que representam os trinta dinheiros em prata com que Cristo foi vendido.



TERCEIRA BANDEIRA


 As armas portuguesas, chamadas escudo nacional, evoluíram do escudo propriamente dito, que com a espada e a lança constituiam a armadora do cavaleiro. Consequentemente, o escudo nacional acompanhou sempre as modificações do formato dos escudos.



QUARTA BANDEIRA


Em 1249, o rei Afonso III conquistou o Algarve aos Mouros, fixando definitiamten as fronteiras de Portugal continental, hoje conhecidas. Para comemorar essa conquista, o rei acrescentou à bandeira nacional nove castelos, dispostos em forma de U e representativos do mesmo número de fortalezas tomadas aos Mouros. Foi durante o reinado de D. João I que o escudo português em forma de U começou a ser usado com mais frequência do que o escudo em forma de V. Embora este continuasse a usar-se simultaneamente. Mais tarde, o rei D. João II reduziu o número de castelos a sete, número ainda hoje encontrado na bandeira portuguesa.



QUINTA BANDEIRA


 D. Manuel I mandou adicionar a esfera armilar, seu emblema, à bandeira. Alguns anos depois (1522), Fernão de Magalhães, com a viagem circum-navegação que realizou provou a esfericidade da terra. A maior alteração sofrida pela bandeira após o período das descobertas, efectuou-se com a implantação da República Portuguesa em 1910. Introduziu-se o campo verde e vermelho em volta do centro da bandeira que permaneceu o mesmo desde o tempo das descobertas.



 BANDEIRA ACTUAL


 O vermelho representa o sol feérico e incandescente nascendo e declinando sobre as proas e as popas das valorosas caravelas portuguesas, cujo império, pela primeira vez na história do mundo abrangia todo o globo. (A crença popular atribui ao vermelho a cor do sangue dos heróis e mártires portugueses). O verde representa a cor do mar alto que os portugueses foram os primeiros europeus a sulcar. (A crença popular identifica o verde com a cor dos prados de Portugal).



 (FONTE: http://httwww.apol.net/dightonrock/historiabandeira.htm)

publicado por linade às 18:13
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28


.posts recentes

. HENRY LOUIS MENCKEN - 188...

. BENOITE GROULT

. II Encontro de Weblogs

. Vinicius de Moraes

. Arnaldo Jabor ... Sempre...

. Cerejas com vinagre e açú...

. PENSAMENTOS...

. Rosa Ditosa

. Eugénio de Andrade - Cama...

. As divas do cinema - Por ...

.arquivos

. Fevereiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

blogs SAPO

.subscrever feeds