Domingo, 4 de Janeiro de 2004

Poesia Erótica II

EUGÉNIO DE ANDRADE

NAS ERVAS

Escalar-te lábio a lábio,
percorrer-te: eis a cintura
o lume breve entre as nádegas
e o ventre, o peito, o dorso
descer aos flancos, enterrar

os olhos na pedra fresca
dos teus olhos,
entregar-me poro a poro
ao furor da tua boca,
esquecer a mão errante
na festa ou na fresta

aberta à doce penetração
das águas duras,
respirar como quem tropeça
no escuro, gritar
às portas da alegria,
da solidão.

porque é terrivel
subir assim às hastes da loucura,
do fogo descer à neve.

abandonar-me agora
nas ervas ao orvalho -
a glande leve.




publicado por linade às 12:04
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28


.posts recentes

. HENRY LOUIS MENCKEN - 188...

. BENOITE GROULT

. II Encontro de Weblogs

. Vinicius de Moraes

. Arnaldo Jabor ... Sempre...

. Cerejas com vinagre e açú...

. PENSAMENTOS...

. Rosa Ditosa

. Eugénio de Andrade - Cama...

. As divas do cinema - Por ...

.arquivos

. Fevereiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

blogs SAPO

.subscrever feeds